Formação e Organização Sindical

Presidente da Fetaemg faz análise de conjuntura durante curso de formação sindical em Alfenas

Em cumprimento às determinações de seu 9º Congresso, a Fetaemg vem intensificando suas ações de formação político sindical em todo o Estado. Na região Sul do Estado, em Alfenas, aconteceu o primeiro módulo do curso, de 24 a 26 de outubro, envolvendo a participação 57 dirigentes e funcionários de cerca de 25 Sindicatos de Trabalhadores Rurais da região. Com a iniciativa, a Fetaemg dá um passo importante para elevar o nível de consciência política de lideranças sindicais em todo o Estado. “A formação é de extrema importância para que os trabalhadores e trabalhadoras rurais compreendam a importância e a força do Movimento Sindical nas lutas da categoria”, destaca o presidente da Fetaemg, Vilson Luiz da Silva. Abrindo o curso, o presidente Vilson Luiz, fez uma análise de conjuntura chamando a atenção dos participantes para o momento político, especialmente com as reformas Previdenciária e Trabalhista anunciadas pelo governo Temer. Vilson pediu união da classe trabalhadora neste momento conturbado que o país enfrenta, destacando que é importante que os dirigentes estejam atentos, pautando essas discussões junto aos trabalhadores e trabalhadoras rurais. Também esteve incluída na programação do curso uma palestra sobre Trabalho e Trabalhador, ministrada pelo formador José Carlos, do STR de Ouro Fino. Dando prosseguimento às atividades, a secretária Nacional do Centro de Estudos Sindicais (CES) e também secretária geral adjunta da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), Kátia Gaivoto, fez uma explanação sobre Concepções Sindicais, destacando o processo histórico do Movimento, o perfil e o posicionamento que os Sindicatos devem assumir perante a sociedade e o governo para combater a exploração e a perda dos direitos que afetam a categoria. O curso abodou ainda a História do Movimento Sindical no Campo, com o formador José de Oliveira Ruela. Fechando os trabalhos a assessora de formação sindical da Fetaemg, Josefina Baetens, fez uma explanação sobre Organização do Sindicato. “Esperamos que o curso cumpra o objetivo de ajudar os participantes a aperfeiçoarem seus conhecimentos sobre o Movimento Sindical, seja na história de luta pela busca dos direitos dos trabalhadores, seja na estruturação dos Sindicatos e suas bases, levando aos trabalhadores e trabalhadoras rurais o conhecimento e a consciência de sua importância nesta organização, pois o Movimento Sindical existe pelo e para os trabalhadores e trabalhadoras rurais”, destacou a diretora do Polo Regional Sul, Maria Márcia de Oliveira. Durante o curso, houve um momento bastante enriquecedor para os participantes, que foi um resgate da memória do sindicalismo rural na região. Um dos participantes ainda escreveu uma poesia. A secretária Nacional do Centro de Estudos Sindicais (CES) e também secretária geral adjunta da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), Kátia Gaivoto, diz que os resultados foram muito bons, de muitas trocas de conhecimento. "Saímos de lá com o compromisso de fortalecer ainda mais o movimento sindical. Unir o campo e a cidade contra a retirada de direitos dos trabalhadores e trabalhadoras."    

Trabalhadoras Rurais participam de formação sindical especial

A Fetaemg promove, a partir de hoje, (06/06) um curso diferenciado: Formação Sindical para Mulheres Trabalhadoras Rurais. O curso, específico para o público feminino, é voltado à dirigentes e lideranças que integram os 12 polos da Fetaemg no estado.

O objetivo desta formação é promover uma formação política para ampliar a mobilização sindical e despertar a consciência de que é pela luta e pela união que os trabalhadores ganham força. Na abertura, o presidente da Fetaemg, Vilson Luiz da Silva, exaltou a importância das mulheres na luta e também mostrou indignação com o machismo existente na sociedade, que fere os direitos e a honra da mulher.

O presidente também pontuou que é muito importante que as participantes se tornem multiplicadoras e transmitam os conhecimentos adquiridos neste curso para toda a base.“ Hoje ainda existe muito machismo. Em alguns lugares os homens fingem aceitar a presença das mulheres, mas querem mandar sozinhos. Estamos em um mundo de diálogo, de acordo, de construção. Essa é a nossa premissa. E queremos com este curso que vocês, nossos diamantes brutos, sejam lapidadas para transmitir o conhecimento”, afirmou. Para Alaíde Baggeto, coordenadora da comissão estadual de mulheres trabalhadoras rurais da Fetaemg, o conhecimento é necessário para que a mulher consolide seu espaço dentro do movimento sindical. “Por mais que a mulher tenha conseguido ocupar espaços, tenha avançado e conquistado, se ela não tiver conhecimento, ela não conseguirá aproveitar essas vitórias com sabedoria. Muitas mulheres conseguem um cargo mas não tem coragem de assumir como mulher mesmo. A mulher tem que entender o lugar que está ocupando hoje, principalmente dentro do nosso movimento. As mulheres conquistaram esse espaço não por serem bonitinhas ou interessantes, mas através da luta, da reivindicação.” Defende.

A formação sindical terá a duração de cinco dias e neste período serão abordados conteúdos relativos ao mundo do trabalho e organização sindical. Dentre os conteúdos, estão também a história do movimento sindical, trabalho e trabalhador, concepções sindicais, oratória, violência contra a mulher e legislação previdenciária.

Todos os assuntos serão ministrados por mulheres. A proposta desta metodologia é estabelecer um diálogo mais aberto, onde as mulheres fiquem mais à vontade para debater. A secretária nacional do Centro de Estudos Sindicais - CES e também secretária geral adjunta da Central de Trabalhadores do Brasil-CTB, Kátia Gaivoto, afirmou que o curso é necessário para ampliar o conhecimento e também destacou que a formação política feminina é essencial para a igualdade de gênero. “Só é possível falar de igualdade de gênero quando falamos em trabalho e formação política. Se o dirigente homem não tem consciência da importância das mulheres, o movimento não anda. Só conseguimos fazer uma boa luta quando há clareza em relação aos objetivos, por isso é importante dar esta base às mulheres”, afirmou.

Fetaemg forma primeira turma do Curso de Formação Sindical - Turma "José dos Reis"

 Um ano de muito trabalho e estudos. Assim, é com muito orgulho que a Fetaemg forma sua primeira turma de Formação Sindical após cinco módulos de treinamento realizados no Centro de Estudos Sindicais da Fetaemg, em parceria com o Centro de Estudos Sindicais (CES). Sob a coordenação da secretária de Comunicação do CES, Kátia Gaivoto, e da assessora de Formação Sindical da Fetaemg, Josefina Baetens, 50 formadores, educadores e educadoras ligados a instituição receberam no dia 11/12 o seu certificado oficial em uma cerimônia de formatura que emocionou a todos e todas. Para o presidente da Fetaemg, Vilson Luiz da Silva, a formação tem que ser vista com um investimento, que é o “carro chefe” do Movimento Sindical de Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais.

“Os dirigentes precisam estar preparados para atuar diante da atual conjuntura em que estamos vivendo. Com essa iniciativa, a Fetaemg dá uma significativa contribuição na formação política sindical, contribuindo coma compreensão da consciência de classe desses dirigentes e assessores”, afirma. De acordo com a secretária-geral adjunta da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB) e Diretora do CES, Kátia Gaivoto, com o curso a Fetaemg dá um grande passo na formação dos dirigentes e assessores que atuam junto aos trabalhadores e trabalhadoras rurais, objetivando fortalecer o movimento sindical do campo. “A maior ação política que uma entidade de classe pode fazer para sua base, é formar seus dirigentes pra luta”. Além do presidente da Fetaemg e da secretária-geral adjunta, estiveram presentes também ao evento, compondo a mesa de solenidade, o Secretário de Formação e Organização Sindical da Contag, Juraci Moreira Souto, a coordenadora geral do CES, Gilda Almeida de Souza, e a diretora da CTB nacional e secretária nacional de Formação Sindical da entidade, Celina Alves Aréas.

O curso de Formação Sindical tem como objetivo formar multiplicadores para levar a formação até a base, tendo como pressuposto contribuir para maior consciência política de classe, além de preparar as lideranças sindicais para o enfrentamento político necessário para avançar nas conquistas. Ao todo, foram 224h de estudos para aprofundamento em temas relevantes para o trabalho junto as bases, como: História do Movimento Sindical Urbano e Rural; História da Fetaemg; - Oratória; Estado, Democracia e Direito; Saúde do Trabalhador; Planejamento Estratégico Situacional; Previdência e os Trabalhadores; Estrutura Agrária Brasileira; Agroecologia; Concepções Sindicais e muitos outros assuntos. A equipe graduada recebeu o nome de Turma José dos Reis, em homenagem ao Diretor de Formação e Organização Sindical da Fetaemg, assentado de reforma Agrária, que se encontra licenciado por motivos de saúde. Ele, juntamente com o presidente da Fetaemg, Vilson Luiz da Silva, foi grande incentivador na realização desse projeto. Clique aqui para ver as fotos dos evento.