Por que a Marcha das Margaridas não defende o projeto encabeçado por Bolsonaro?

Por que a Marcha das Margaridas não defende o projeto encabeçado por Bolsonaro?
1 mês atrás

A Marcha das Margaridas é uma ampla ação estratégica das mulheres do campo, da floresta e das águas para conquistar visibilidade, reconhecimento social, político e cidadania plena, contra a exploração, a dominação e todas as formas de violência e em favor de igualdade, autonomia e liberdade para as mulheres. 

É coordenada pela Confederação Nacional dos Trabalhadores Rurais Agricultores e Agricultoras Familiares (CONTAG), suas 27 Federações e mais de 4 mil Sindicatos filiados, e também é construída em parceria com os movimentos feministas e de mulheres trabalhadoras, centrais sindicais e organizações internacionais.

A Secretaria de Mulheres da CONTAG e as organizações parceiras da Marcha das Margaridas vêm reforçar que o atual governo federal, que pleiteia a reeleição, está longe de ser o governo que as Margaridas desejam para o Brasil.

Ao longo dos últimos quatro anos, o presidente da República, seus ministros e ministras e aliados/as tem demonstrado total descaso e desrespeito com a luta e com as políticas direcionadas às mulheres. 

Nos últimos anos, o orçamento destinado à execução dessas políticas vem sendo cortado drasticamente. A ação de apoio à organização econômica e promoção da cidadania de mulheres rurais, que tinha recursos na ordem de R$ 32 milhões em 2014, em 2017 foi para R$ 11,3 milhões. Em 2018 caiu para R$ 5,1 milhões e foi zerada a partir de 2019 e assim permanece até a proposta inicial de 2023. O mesmo ocorreu com a ação 218B – “Política para as mulheres: promoção da igualdade e enfrentamento à violência”, que tinha R$ 25,0 milhões em 2019 e foi zerada a partir desta data.

A Marcha das Margaridas reafirma o seu compromisso com a vida das mulheres, por um Brasil com soberania popular, democracia, justiça, igualdade e livre de violência. NÃO ao machismo, à misoginia, à exploração dos nossos corpos, a todas as formas de violência, ao racismo e sexismo!

Mulheres em ação!