Fetaemg leva inovação tecnológica à produção familiar

A Fetaemg defende a ampliação e a inovação na agricultura familiar para que os trabalhadores rurais possam produzir cada vez mais e melhor. Por isso, junto à Epamig, realiza uma série de mini cursos de inovação na agricultura familiar em todo o estado.

Este projeto tem a finalidade de levar inovações tecnológicas para  agricultores familiares de Minas, a fim de propiciar o desenvolvimento em diversas cadeias produtivas. São várias linhas de pesquisa, dentre elas: olivicultura, gado, psicultura, hortaliças convencionais e não convencionais, café, citrus, leite,  entre outros. A programação dos cursos é dividida entre mesas redondas, debates, palestras e visitas a campo para que os participantes possam conhecer na prática toda a cadeia produtiva.

O presidente da Fetaemg, Vilson Luíz da Silva, acredita que a adoção de tecnologias pode aumentar a sustentabilidade, a produtividade e a melhoria da qualidade dos produtos. Por isso, a federação defende a integração entre os trabalhadores e a pesquisa tecnológica oferecida pela Epamig. “ A Fetaemg realiza estes mini cursos pois acredita na geração de conhecimento aplicado e inovador. Nossos trabalhadores podem melhorar e desenvolver suas produções, produzir com qualidade e agregar valor aos seus produtos. Com isso, podemos promover a agricultura familiar e trazer mais renda e oportunidade para os trabalhadores do campo.”  Afirmou.

Nesta semana, no dia 8, o diretor de política agrícola da Fetaemg, Marcos Nunes, acompanhou o mini curso de olivicultura, na cidade de Maria da Fé, que atendeu a 45 produtores familiares do município de Nova Resende. Além deste, serão ofertados mais 24 mini cursos que contemplarão 24 cidades de todas as regiões do estado.

Marcos explica como funcionam as capacitações: “Os agricultores vão à campo e acompanham todo o procedimento de produção. Neste caso da olivicultura, eles vêem como a muda é feita, a transformação do fruto em azeite e o tempo total do processo. Eles saem daqui entendendo todo o funcionamento, o que é viável e o que não é. Daí cada participante leva este conteúdo para seu município, e pode compartilhar e debater com outros trabalhadores.”

Além de trabalhadores e trabalhadoras, lideranças sindicais também estiveram presentes. Bem como, participaram da formação a diretora do polo Sul da Fetaemg, Maria Márcia e os presidentes dos STTR’s dos municípios de Nova Resende, Bom Jesus da Penha, Maria da Fé e Muzambinho, respectivamente, Claudinei de Brito, Elio Madeira, Luíz Barnabé e Cléber de Oliveira. 

0
0
0
s2sdefault