Sindicatos do Alto Rio Doce debatem transformações futuras na sociedade e o fortalecimento do Movimento Sindical

APAGA 1

Os STTRs do Alto Rio Doce têm promovido encontros e debates para tratar os novos desafios a serem enfrentados a partir de 2019. Não apenas a Reforma da Previdência, em tramitação no Congresso Nacional e a Reforma Trabalhista, que já é uma dura realidade para os homens e mulheres, do campo e cidade, mas toda uma nova composição que se desenha para o próximo ano.

Na última semana, durante a Assembleia de Prestação de contas do STTR de Peçanha, com a presença do seu presidente, Sadi Elias e do diretor do polo local da Fetaemg, José Osvaldo, além das questões administrativas, os presentes debateram como compor uma força de oposição para manter a luta que por tantas e tantas vezes foi destaque em Minas Gerais e em Brasília, em nome dos trabalhadores e trabalhadoras rurais. “O sindicato é uma arma de luta da nossa classe e é racional que trabalhemos para o seu fortalecimento”, pontuou Sadi.

Durante a reunião mensal no STTR de Virginópolis, conduzido pelo seu presidente, Amilton Santos de Souza, além das questões administrativas e técnicas relacionadas ao dia a dia dos trabalhares (as), palestras sobre temas diversos, para além da composição sindical, aconteceram e os presentes debateram ainda a necessidade de se arrumar a casa dentro do Movimento, a questão da Educação para os jovens da localidade e a relevância de se variar as alternativas de obtenção de renda.

Essa luta é de todos nós!

0
0
0
s2sdefault