Fetaemg e parceiros realizam o seminário “Formas de Comercialização de produtos da Agroindústria Familiar” em Montes claros

SEMINARIO 1

Nessa quinta-feira (21), uma parceria entre a Fetaemg, sindicatos, cooperativa Grande Sertão, EMATER Regional Norte – Montes Claros, Receita Federal, Receita Estadual (Regional Montes Claros), CONTAG, UNICAFES, UFMG e a Secretaria de Agricultura promoveu o seminário “Comercialização de Produtos da Agroindústria Familiar”. Dentre outros desdobramentos do encontro, discutiu-se as pluralidades na comercialização da Agricultura Familiar e os entraves em sua tributação, bem como as possíveis perdas na condição de Segurado especial.

A Fetaemg esteve representada por meio da sua diretora de Políticas Sociais e Previdência Social, Maria Alves de Souza, do diretor de Política Agrícola e Cooperativismo da Fetaemg, Marcos Vinícius, da diretora do polo local, Sandra Rosa de Medeiros Costa, assessores e representantes das coordenações de Jovens Trabalhadores (as) Rurais e Mulheres.

Os debates sobre “As interfaces da Tributação, Previdência Social para o Campo e Agroindústrias” tiveram a participação em suas explanações dos diretores da Fetaemg, que relataram as experiências relacionados ao tema no âmbito da produção Agrícola.

Para Marcos Vinícius, os trabalhadores precisam ter, sobretudo, segurança jurídica para realizarem suas atividades e a certeza de que estão agindo dentro das normas para o setor. “A regularização sanitária das agroindústrias, os aspectos tributários e previdenciários, em especial para os agricultores familiares, precisam de clareza quanto as formalidades rotineiras e a garantia dos seus direitos. A Fetaemg acompanha essas demandas e atualizações e replica para os homens e mulheres do campo nos âmbitos municipais, estadual e nacional como forma de dar apoio a classe trabalhadora rural”, pontua Marcos.

Segundo Maria Alves, o seminário reafirmou a necessidade da união e organização das partes envolvidas, pela garantia do acesso a políticas públicas e a permanência dos direitos dos trabalhadores, com perspectiva de avanço, para que estes tenham qualidade de vida e elevação social e econômica no campo. “É precisa planejar e traçar estratégias que nos permita esse resultado positivo, para tanto, a qualificação dos nossos trabalhadores e o acesso a informação é preciso, e é nesse aspecto que a Fetaemg atua, tendo como missão, dentre outras, promover esse debate e contribuir de todas as formas que estejam ao seu alcance”, conclui Maria.

Juntos e fortes”

0
0
0
s2sdefault