Nota de solidariedade pela morte da vereadora Marielle Franco

Nós, mulheres agricultoras familiares da FETAEMG, manifestamos o nosso repúdio diante do assassinato, no dia 14 de março de 2018, da vereadora do PSOL, Marielle Franco, morta a tiros dentro de um carro na Rua Joaquim Palhares, no bairro do Estácio, na Região Central do Rio.

A vereadora Marielle tinha 38 anos. Em sua primeira disputa eleitoral. Foi a quinta vereadora mais votada do Rio nas eleições de 2016. Marielle era Socióloga formada pela PUC-Rio e mestra em Administração Pública pela Universidade Federal Fluminense (UFF). Sua trajetória mostra atuação em organizações da sociedade civil. Foi coordenadora da Comissão de Defesa dos Direitos Humanos e Cidadania da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj). Se reconhecia como mulher, negra, mãe, feminista, socióloga, "cria da favela".

Dedicou sua vida política na defesa dos direito humanos e contra as ações violentas nas favelas. Era uma mulher de muito carisma e se orgulhava em dizer “Lugar de mulher é onde ela quiser". Frase que contagiava a todos que a ouviam. Era  crítica da intervenção federal na segurança pública do Rio de Janeiro, posição que a levou a assumir a relatoria da Comissão da Câmara de Vereadores do Rio, com objetivo de acompanhar a atuação das tropas na intervenção.

Nós, mulheres trabalhadoras rurais, repudiamos e exigimos que mais este caso de violência seja apurado e julgado. Não aceitamos as tentativas de fazer calar nossas vozes que ecoam pela garantia de direitos.

Somamos nossa luta a de Marielle, por uma sociedade justa e democrática. Transmitimos nossa solidariedade aos seus familiares, amigos e a todas as companheiras, que como Mariella, se colocaram na luta, desafiando o capitalismo, a cultura do machismo e patriarcado.

Marielle Franco, seguiremos firmes contra todo o retrocesso e violência.

Comissão Estadual de Mulheres Trabalhadoras Rurais - FETAEMG

0
0
0
s2sdefault